By JEAN-LUC LEZEAU

 

O livro bíblico, de Atos dos Apóstolos, se destac como a maior fonte de informação a respeito dos primeiros passos da igreja cristã e de como milhares de novos crentes se convertiam a cada dia.1 Ele descreve suas lutas para se organizarem e viverem como verdadeiros discípulos de Cristo e parA estarem preparados para aceitar a comissão dada por Jesus antes Dele partir:“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os [...] ensinando-os”.2 Esse foi o início de uma história que transformaria o mundo.

O Novo Testamento não fala muito a respeito do princípio do dízimo. Entre as poucas passagens relacionadas ao dízimo, inferimos das palavras de Jesus ao repreender os escribas e fariseus que Ele apoiava a prática do dízimo.3 Então, como a missão era apoiada na igreja primitiva?

Dar Abundantemente

O perfeito exemplo de generosidade que Jesus mostrou a Seus discípulos foi o da viúva no templo.4 Ela estava muito triste por não poder dar mais, visto que estava dando a menor moeda que existia! Mas no grego original, ela deu “bios” “a si mesma”, sua existência. Deu tudo o que tinha! E ninguém ali se perguntou onde ela iria morar no dia seguinte! Temos alguma dúvida de que Deus proveu-lhes para as necessidades? Esse é o tipo de dependência que Jesus queria que Seus discípulos experimentassem.

A informação que é claramente revelada a respeito doapoio financeiro para a florescente igreja cristã não foi apenasde que eles deveriam partilhar do mesmo espírito, mas que “tinham tudo em comum.Vendiam suas propriedades e bens”.5 Eles foram além do exercício de calcularem quanto deveriam devolver em dízimos e quanto deveriam dar de ofertas. Eles davam profusamente. E, além disso, eles primeiro deram o coração ao Senhor. Esse é o modelo bíblico demordomia radical! Isso foi suficiente para financiar a missão deJesus de ir “a todas as nações”?

Eles partiram em viagens missionária,6 e não demorou e tiveram de fugir da perseguição.7 Pode- se perguntar: Como eles financiaram todas essas viagens? Eles seguiram a ordem8 de Jesus de não levar ouro ou prata com eles, nem sacolas ou sandálias? Se esse foi o caso, o tesoureiro morto, Judas, teria se alegrado porque não teria que distribuir nenhum dinheiro!

Os Dois Modelos

Ao ler o livro de Atos, descobrimos a aplicação de dois modelos diferentes de apoio à missão. Primeiro, a missão era patrocinada por aqueles que compunham o corpo de Cristo.9 Vários textos bíblicos apoiam a prática.10Seu compromisso para com a missão se revelava através do testemunho e do apoio à missão com seus recursos. Muitas passagens testificam de que os missionários itinerantes ficavam nos lares dos irmãos.11 Os discípulos, regularmente, escreviam com antecedência aos irmãos para que recebessem os pregadores viajantes.12

O segundo modelo foi o adotado, frequentemente, por Paulo. Em muitas instâncias ele foi um missionário de sustento próprio. Ele desejava ser totalmente dependente de Deus em Sua provisão,13e isso estava em sincronia com o modelo de Jesus ao enviar Seus discípulos. Era a forma perfeita de enviar missionários para que vissem, por si mesmos, os milagres que Deus deseja realizar, a cada dia. Suas necessidades eram atendidas, e a fé no Mestre era fortalecida. Paulo decidiu não depender dos irmãos (At 20:33, 34). Eletrabalhou quando ficou com Áquila, que era fabricantede tendas, assim como ele.14 Paulo viajava intensamente. Ficava vários meses de uma vez nas cidades que visitava;15 em alguns casos, alugou um local por vários anos.16

Esses dois modelos não são mutuamente exclusivos. O Apóstolo Paulo, modelo da missão de sustento próprio, sabia que tinha direito a receber apoio do corpo de crentes.17 Ele destacou que outros apóstolos eram apoiados pela liberalidade da comunidade de crentes. E, em uma ocasião, recebeu apoio material para seu ministério (Fp 4:15). Os dois modelos apoiam a missão e são válidos hoje; e cada um preenche uma necessidade, dependendo de nossas variadas circunstâncias. Em alguns países não é permitida a entrada de missionários “regulares” remunerados. Os missionários de sustento próprio, são assim necessários. O importante é que todos trabalhem juntos para a conclusão da obra.

Para finalizar, desejo que todos possamos experimentaro que os macedônios experimentaram em sua “extrema pobreza”.18 Não apenas eles deram ofertas voluntárias “quanto podiam”19, mas “até além do que podiam”. Como podemos dar além de nossa capacidade? Pergunte a Jesus. “eles nos suplicaram insistentemente o privilégio de participar da assistência aos santos”.20 Dar é um privilégio.21 

 

Notas de Fim

  1. Atos 2:41, 47; 4:4; 5:14; 6:1, 7; 16:5; 17:12; 11:21, 24; 2Co 11:9; Fp 4:15, 16
  2. Mt 29:19
  3. Mt 23:23
  4. Mc 12:43
  5. Atos 2:44, 45; 4:32, 34-37
  6. Atos 8:4; 8:14
  7.  Atos 11:19
  8.  Mt 10:9, 10
  9.  Atos 28:10; 1Co 7; 1Co 9
  10.  Lv 6:16, 26; Lv 7: 31; Nm 18:8-31; Dt 18:1; Lv 7; 1Co 9:13, 14; Mt 10:10; Lc 10:7, 8; Tm 5:18; Rm 1:15
  11.  Atos 9:19, 43; 10:7; 16:15; 21:8; 28:10
  12. Atos 18:27
  13.  Mc 6:8
  14.  Atos 18:2; 1Co 9:7-10
  15.  Atos 14:3, 28; 18:7-11; 19:40
  16.  Atos 28:30
  17.  1Co 11:12-18; 1Co 9:15-18; 2Tm 2:6
  18.  2Co 8:2
  19. 2Co 8:3
  20.  2Co 8:4
  21.  Atos 20:35

 

JEAN-LUC LEZEAU

JEAN-LUC LEZEAU

Jean-Luc Lézeau serviu em várias funções nos níveis de associação e divisão, em três continentes, e foi ex-diretor associado do Departamento de Mordomia da Associação Geral.