By Elsen Baxen

No nosso mundo contemporâneo observamos materialismo extravagante, aumento da corrupção e exploração notória dos pobres por aqueles com poder. Há uma avalanche constante de anúncios nas plataformas sociais, televisão, rádio, cartazes e revistas a promoverem a gratificação própria a custo de tudo o resto. Esta atitude mundana com relação à vida parece estar a dominar o princípio Cristão da generosidade e do altruísmo. A Bíblia diz que nos últimos dias as pessoas, aparentando ser piedosas, amar-se-ão mais a si próprias, ao dinheiro e aos prazeres do que a Deus (2 Tim. 3:1-5). Isto é contra a própria essência da mordomia. A mordomia Bíblica reconhece o nosso relacionamento para como Deus como dono de todos os recursos, materiais ou espirituais, considerando o seres humanos como administradores dos Seus recursos. Como é que a mensagem de Deus nestes últimos dias serve de antídoto para o egocentrismo?

 A Mensagens dos Três Anjos são o Último Chamado de Deus ao Mundo

Imediatamente depois destas mensagens (ver Apo. 14:6-13), ocorre a ceifa da terra, que é a segunda vinda de Jesus, descrita em Apocalipse 14:14-20. Deus é retratado a fazer tudo o que pode para salvar os perdidos antes do fechamento da porta da graça. Interessantemente, estas mensagens enfatizam aspetos vitais da mordomia, os quais são personalizados para fazer de nós mordomos fiéis nesta geração.

Mordomo Voador

Durante a Primeira e Segunda Guerra Mundial, eram usados pombos para levaram mensagens do campo de batalha até aos quartéis. Em muitos casos, as vidas dos soldados foram salvas por estes pombos mensageiros, alguns dos quais recebiam medalhas pelo seu serviço fiel. “Cher Ami” foi um destes pombos, que concluiu 12 missões com sucesso. Na última missão perdeu uma pata e um olho, mas ainda assim entregou a sua mensagem.[1]

O primeiro anjo é visto “voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno” (Apo. 14:6). Isto retrata os filhos de Deus como mordomos a entregar o correio aéreo do céu. A mensagem é o evangelho eterno. O evangelho eterno aponta para Jesus, o qual se humilhou, passando de dono a mordomo, tendo sido fiel até à morte na cruz (Fil. 2:5). Ellen White faz esta afirmação sublime: “Pendurado na cruz, Cristo foi o evangelho.”[2] A “hora do Seu juízo” (Apo. 14:7) lembra-nos que todos nós daremos contas a Deus da nossa mordomia, incluindo a fidelidade na proclamação do evangelho eterno.

A Mensagem do Primeiro Anjo e Cinco Aspetos de Mordomia

A mensagem do primeiro anjo está focada na adoração. O tipo de adoração recomendado é um que se identifica com os cinco aspetos de educação em mordomia:

  1. Verdade—A igreja remanescente de Deus foi instruída a ser mordoma da verdade, não de guardá-la para si, mas proclamá-la. Ellen White estimula a nossa fidelidade ao dever quando exorta:

Foi-nos confiada a obra da proclamação da última mensagem de misericórdia a ser dada a nosso mundo — a mensagem que há de preparar um povo para subsistir no dia de Deus. Avaliamos nós a nossa responsabilidade? Estamos desempenhando a nossa parte na proclamação da mensagem? O tempo atual está carregado de interesses eternos. Cumpre-nos desfraldar a bandeira da verdade perante um mundo a perecer em erro. Deus chama homens a trabalharem sob a bandeira ensanguentada de Cristo, entregar a Bíblia ao povo, multiplicar acampamentos em diversos locais, advertir as cidades e proclamar a admoestação longe e perto, pelos caminhos e atalhos do mundo.[3]

  1. Tempo—O chamado a adorar o Criador (Apo. 14:7) é um eco do quarto mandamento (Êxo. 20:8-11), instruindo-nos a nos lembrarmos do Sábado; lembrar do Criador do tempo e do espaço. “De nenhum talento que nos concedeu requererá Ele mais estrita conta do que de nosso tempo. . . . Não temos tempo para dissipar, tempo para devotar aos prazeres egoístas, tempo para contemporizar com o pecado. Agora é que nos devemos formar o caráter para a futura vida imortal. Agora é que nos devemos preparar para o juízo investigativo.”[4]
  2. Templo—Este é um convite para glorificar a Deus. O apóstolo Paulo define os nossos corpos como meio de glorificar a Deus, como o templo do Espírito Santo (1 Cor. 6:19). Neste contexto, segundo 1 Coríntios 10:31, aquilo que ingerimos—o que comemos e bebemos—deve glorificar a Deus. Um estilo de vida insalubre não afeta somente a nossa qualidade de vida e longevidade, mas também é prejudicial à nossa vida como adoradores de Deus.
  3. Tesouros—O chamado a “adorar Aquele” (Apo. 14:7) inclui adorá-Lo com os nossos dízimos e ofertas. Esta ligação é evidente na Bíblia quando esta afirma, “Tributai ao Senhor a glória devida ao Seu nome; trazei oferendas e entrai nos Seus átrios; adorai o Senhor na beleza da Sua santidade” (1 Crô. 16:29, ARC). A nossa adoração a Deus não é compensação por roubá-lO nos dízimos e ofertas, porque ambos pertencem ao mesmo pacote.
  4. Talentos—O dom de pregar o evangelho eterno é um talento vindo de Deus. Existem formas diferentes de pregar o evangelho, para as quais o Espírito Santo concede diversos dons espirituais (1 Cor. 12:28-30; Efé. 4:11). Os diversos dons concedidos pelo Espírito Santo são para “aperfeiçoamento dos santos para desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo” (Efé. 4:12, ARC).

 Mordomo Caído

O segundo anjo anuncia a queda de Babilônia. O motivo apresentado é porque “tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição” (Apo. 14:8, ARC). O vinho contribui para a queda de Babilônia. O vinho representa a falsidade e o engando (Miqueias 2:11; Isa. 28:7). Os mordomos que se recusam voar com e pela verdade irão cair no engano. Ellen White confirma este ponto: “Satanás, em cooperação com os seus anjos e com homens maus, fará todo esforço para obter a vitória, e dará a impressão de ser bem-sucedido. Mas a verdade e a justiça sairão triunfantes e vitoriosas nesse conflito. Os que creram numa mentira serão derrotados, pois os dias de apostasia chegarão ao fim.”[5]

O inimigo sabia que os aliados usavam pombos-correios para comunicar a verdade da situação no campo de batalha. O inimigo baleava os pombos enquanto estes voavam para que caíssem, evitando assim que a mensagem fosse entregue. Capturavam outros pombos e trocavam as mensagens verdadeiras por mensagens falsas e voltavam a soltá-los, confundindo e distraindo assim os quartéis.

[1] “War Pigeon," Wikipédia, acesso a 7 de novembro de 2019, https://en.wikipedia.org/wiki/War_pigeon.

[2] Ellen G. White, Manuscript Releases, vol. 21, s.d., p. 37.

[3] White, Review and Herald, 18 de abril de 1912, par. 3.

[4] White, Parábolas de Jesus, p. 182.

[5] White, Mensagens Escolhidas, vol. 3, p. 393.

Elsen Baxen

Elsen Baxen

Enslin Baxen foi Cientista Médico antes de receber o chamado para o ministério pastoral a tempo integral. É casado com Lee-Ann e tem um filho e uma filha adolescentes. Está atualmente a concluir o seu MDiv na Universidade Adventista de África, no Quênia. É pastor de um distrito com diversas igrejas em Joanesburgo, África do Sul.