By Murvin Camatchee

Todos os quatro evangelistas - Mateus, Marcos, Luca e João - em seus respectivos relatos do Evangelho, relataram o milagre de Jesus alimentando os cinco mil. É interessante notar que em cada uma dessas narrativas são apontados dois elementos importantes: o primeiro é que  não havia comida suficiente (Mt. 14:17; Mc 6:38; Lc. 9:13; Jo. 6:9); a segunda é que, depois que Jesus multiplicou os pães, os peixes e todo mundo comeu, Ele instruiu que os fragmentos fossem recolhidos para que nada se perdesse (Mt 14:20; Mc 6:43; Lc 9:43; Lc 9:17; Jo. 6:12). O que Jesus está dizendo aqui é que um fragmento de pão não deve ser considerado sem importância apenas porque é apenas uma pequena parte de um pão.

Uma maneira muito comum de negligenciar os “fragmentos” é quando os pagamentos de juros nos saldos dos cartões de crédito são considerados insignificantes ou sem importância em comparação com o total do valor do empréstimo. Essa é uma perspectiva muito perigosa, pois pode levar você a dívidas rapidamente. Infelizmente, muitas pessoas não veem os riscos associados ao uso de cartões de crédito.

Eu realmente preciso de um cartão de crédito?

Um grande problema em ter um cartão de crédito é a tendência de cair na ilusão de que o limite em um cartão de crédito é uma quantidade real disponível. Ter um cartão de crédito com, digamos, um limite de R$ 5.000 não significa que há R$ 5.000 disponíveis para gastar. Na verdade, isso significa que você pede “emprestado” até R$ 5.000 ao emissor do seu cartão. Consequentemente, cada centavo que você gasta terá que ser reembolsado.

Se usado corretamente, no entanto, um cartão de crédito pode ser útil. Pode, por exemplo, ser usado para emergências. Mas é importante enfatizar que qualquer valor cobrado no cartão de crédito terá que ser reembolsado e, quanto mais você esperar antes de efetuar os pagamentos, mais juros você pagará. É por isso que, conforme explicado nas duas edições anteriores da revista Mordomo Dinâmico, é altamente recomendável que você inclua um valor para emergências em seu orçamento.

No entanto, antes de usar seu cartão de crédito, aqui estão algumas perguntas básicas que você precisa fazer: incluí essa despesa no meu orçamento?

Preciso absolutamente usar meu cartão de crédito para essa despesa específica?

Tenho dinheiro suficiente para reembolsar o que estou tomando emprestado (do emissor do meu cartão)? Se eu não puder reembolsar esse valor imediatamente, quanto tempo vai demorar?

Os perigos de um alto limite de crédito e de fazer apenas o pagamento mínimo

Ser aprovado para possuir um cartão de crédito geralmente cria uma sensação de prosperidade. Mas não conhecer todas as implicações pode transformá-lo em uma pessoa infeliz. Ao solicitar um cartão de crédito, a tentação é optar pelo limite mais alto possível ao qual você é elegível. Quanto maioro limite, maior a margem de manobra para gastar dinheiro que não é seu.

Idealmente, você poderá reembolsar o valor total gasto dentro do período de carência sem juros permitido para uma nova compra. Caso você não consiga fazer isso, isso resultará em um saldo em sua conta, e os emissores de cartões exigirão que seja feito um pagamento mínimo. Esse pagamento mínimo exigido pode se tornar uma armadilha disfarçada. Isso ocorre porque muitas pessoas se contentam em fazer somente o pagamento mínimo, que geralmente é uma porcentagem do saldo ou um valor fixo, o que for maior. Pagar o valor mínimo necessário evitará taxas atrasadas, mas os juros continuarão a acumular enquanto o seu saldo não for zerado.

Taxa anual de juros

Digamos que você tenha um cartão de crédito com os seguintes parâmetros:

Limite: R$ 5.000

Taxa Anual de Juros: 18,25%

Período de carência: 21 dias

Pagamento mínimo: 3% do seu saldo ou R$ 25,00

(o que for maior)

Em 1 de julho, você gasta R$ 4.500 no cartão de crédito. A única maneira de evitar o pagamento de juros é reembolsar os R$ 4.500 até 22 de julho. Se você não puder reembolsar o valor total dentro desse período de 21 dias, serão cobrados juros. Também é importante observar que o emissor do cartão não esperará até o final dos 12 meses para calcular os juros anuais que você deve pagar no seu saldo devedor. Os juros são calculados diariamente. Uma taxa anual de 18,25% é equivalente a uma taxa de juros diária de 18,25% dividida por 365 dias, que é igual a 0,05%.

Isso significa que, se em 22 de julho você tiver um saldo de $ 4.500 no cartão de crédito, o valor a ser debitado como juros será de R$ 2,25. Esse juro será adicionado ao seu saldo devedor (R$ 4.500), o que lhe dará um novo saldo de R$ 4.502,25.

Em 23 de julho, a taxa diária de juros de 0,05% será aplicada ao saldo de R$ 4.502,25, e assim por diante, conforme ilustrado abaixo:

Conforme mostrado na tabela acima, durante um período de 5 dias, o saldo devedor aumentou em R$ 9,00. Durante um período de 30 dias, o novo saldo será de R$ 4.567,99, o que significa que seu saldo aumentou em R$ 68,00.

Digamos que você precise fazer um pagamento mínimo até 22 de agosto. Isso equivale a 3% do seu saldo ou R$ 25,00, o que for maior. Nesse caso, seu pagamento mínimo seria 3% de R$ 4.568,00, que é R$ 137,00 (superior a R$ 25).

Com base nesse cenário, com um pagamento mínimo de R$ 137,00, seu saldo diminuiu em apenas R$ 69,00 (de R$ 4.500,00 para R$ 4.431,00). Se você fizer apenas o pagamento mínimo, o saldo (R$ 4.500,00) será reduzido a zero após não menos de 13 anos, e o valor total dos juros pagos será de R$ 4.000,00. No entanto, se, em vez de fazer apenas o pagamento mínimo, você decidir pagar, digamos, R$ 200,00 por mês, seu saldo será zerado após 2 anos e meio, e o montante total de juros pagos será de R$ 1.050,00. A partir do exemplo acima, podemos ver claramente que, desde que você tenha um saldo diferente de zero fora do período de carência sem juros, estará inevitavelmente pagando mais do que pediu emprestado. É por isso que é primordial que uma avaliação completa de todas as implicações possíveis seja feita antes de usar um cartão de crédito. Porque, muitas vezes, os cartões de crédito são usados para compras o que você nunca compraria de outra maneira.

Quando Ele ordenou que as sobras fossem reunidas, Jesus afirma que os fragmentos nunca devem ser considerados sem importância. Seu desejo é que aqueles que atualmente não fazem parte da multidão também desfrutem das mesmas bênçãos que os presentes na multidão alimentada. O que é considerado hoje como fragmento sem importância, como juros de cartão de crédito, poderia ser acrescentado para apoiar a Missão da Igreja, que é estender as bênçãos de Deusa outras pessoas. 

Murvin Camatchee

Murvin Camatchee

Murvin Camatchee (MBA, MDiv). Casado com Corrine, ele é atualmente o pastor líder da igreja College Drive na Associação dos Estados do Golfo, EUA.

Media Block Image Alt

July–September, 2019

Contentamento