By Aniel Barbe, Editor

 

Conhece a música que os Magos cantaram ao Bebé Jesus? Sabe qual foi a oração que eles fizeram ao Rei recém-nascido? Lembra-se das palavras que José e Maria lhes dirigiram durante a sua visita? Não encontramos esta informação em lugar nenhum nos Evangelhos. Conhecendo o propósito da sua visita, este silêncio é surpreendente e possivelmente significativo! Os Magos viajaram centenas de quilômetros durante vários dias, com um objetivo claro: encontrar “o recém-nascido Rei dos judeus,” (Mat. 2:2 ARC) e adorá-lO.

Se tivesse que falar sobre a sua última experiência de adoração, o que diria? Alguns mencionariam a qualidade do sermão; outros comentariam acerca da apresentação do coral, e poucos recordariam o momento de oração. Todos estes são elementos essenciais da adoração. Interessantemente, o relato sobre os Magos em Belém não menciona estes detalhes importantes. O foco é outro: “Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, O adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-Lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra.” (Mat. 2:11 ARC). Dar foi o elemento crítico da sua adoração.

Dar como ato de adoração é o tema geral desta edição da revista Mordomo Dinâmico. Coralie escreve sobre a função da doação na adoração Adventista: incentivo, propósito e teologia da doação. Baxen apresenta as Três Mensagens Angélicas, que rodam em torno da adoração, como elemento fundamental para a nossa mensagem de mordomia. Através da analogia de fãs de futebol, Reyes convida-nos a avaliar o nosso papel como membros do time de Deus. Desfrute também dos outros artigos e cresça no seu ministério de levar outros a se envolverem na adoração completa.

Votos de um bom ano de 2020!

 

 

 

Aniel Barbe, Editor