By Mundia Liywalii

Um propósito da vinda de Jesus para o nosso planeta tomado pelo pecado é claramente mencionado em João 10:10: "O ladrão vem apenas para furtar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente" (NVI). Jesus não está interessado só em que nós desfrutemos da vida eterna com Ele no céu e na nova terra, mas Ele deseja que nós comecemos a desfrutar da vida abundant agora e hoje. Enquanto nós cantamos da vida "no lindo país", alguns aspectos dessa vida já podem ser experimentados nesta vida. A vida abundante, ou a "vida plena", é a aspiração de muitos, senão de todos. Infelizmente, ao buscarem a vida abundante, as pessoas muitas vezes de envolvem em atividades que as deixam de coração partido. Então como é possível desfrutar dessa vida abundante aqui e agora?

Conexão Sustentada com Deus

A vida abundante é o resultado de uma conexão sustentada com Deus. Jesus explanou sobre esse processo quando declarou: "Se alguém não permanecer em mim, será como o ramo que é jogado fora e seca. Tais ramos são apanhados, lançados ao fogo e queimados".1 A correlação entre a vida abundante e a conexão com Deus é ilustrada de forma única na vida de José. A expressão "o Senhor estava com ele" ocorre quatro vezes em Gênesis 39, e como resultado nós lemos "o Senhor estava com ele e que o fazia prosperar em tudo o que realizava" (v. 3) Quando um mordomomantém conexão com Deus, a recompensa é a prosperidade física, material e espiritual.

O sucesso e a prosperidade que vêm de uma conexão com Deus manterão o indivíduo humilde (veja Sl 75:6). Deus é reconhecido como a Fonte, o Senhor e o Dono de tudo.

Obediência

Em Deuteronômio 4, Moisés lembrou os filhos de Israel que a vida abundante é condicional à obediência às exigências de Deus. A obediência resultaria em uma vida longa.

"Obedeçam aos seus decretos e mandamentos que hoje eu lhes ordeno, para que tudo vá bem com vocês e com seus descendentes, e para que vivam muito tempo na terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá para sempre."2

A obediência não faria deles o povo de Deus; essa já era a identidade deles. Eles deveriam obedecer como uma expressão de seu relacionamento com Deus. Pela graça de Deus, os mordomos obedecem ao que é revelado, e a recompensa é a vida abundante. Eles têm o cuidado de seguir as instruções de Deus sobre administrar a saúde e as finanças, áreas críticas que afetam a qualidade de vida.

Mordomos reconhecem que seus corpos são o templo de Deus (1 Co 3:16-18). Então, eles se esforçam para manter boa saúde, se abstendo de se satisfazerem com quaisquer substâncias prejudiciais. Substâncias como bebidas alcoólicas, tabaco e drogas são totalmente evitadas. Além disso, mordomos são atentos ao que é colocado sobre a mesa. Eles têm a sabedoria para discernir que nem tudo que é chamado de comida é bom para o corpo. Alguns alimentossão atraentes para os olhos e saborosos na boca, mas são prejudiciais à saúde. Alimentos que levam à obesidade, pressão sanguínea alta, diabetes etc. não têm lugar à mesa de um mordomo desejoso em preservar a vida abundante. Essa ideia adicional informa sobre a ingestão de alimentos de mordomos sábios. "Deve haver cuidado na seleção do alimento. Nossa comida deve ser de acordo com a estação, o clima em que vivemos e a ocupação em que nos empregamos."3

Evitar substâncias nocivas e selecionar o alimento cuidadosamente é importante, mas insuficiente por si só para garantir a vida abundante. A atividade física é considerada uma necessidade. No primeiro livro de Ellen White que eu li, eu encontrei a seguinte afirmação: "A força se desenvolve pelo exercício; a atividade é uma condição para a sobrevivência".4 A nossa saúde física está intimamente ligada a como nós mantemos os nossos corpos por meio de exercícios regulares.

Mordomos aceitam o conceito do domínio de Deus sobretudo (Sl 24:1). Essa convicção se junta à sua disposição para obedecer e os leva a praticar a devolução do dízimo das ofertas. Sua motivação não é receber bênçãos; no entanto, a fidelidade sempre é recompensadade uma forma ou de outra. A vida abundante é o resultado, e ela cobre todas as dimensões da existência. A obediência na área das finanças pode ser uma questão tão sensível que Deus nos convoca a "provarmos" Ele (Ml 3:10, NVI). Talvez não haja outra área na qual Deus nos convida a provarmos Ele, exceto aqui. Aqueles que têm medo que a devolução dos dízimos e das ofertas vai reduzi-los à pobreza podem encontrar conforto em Malaquias 3.

Conclusão

Em Jesus, a vida abundante não é só uma realidade distante. Ela pode começar hoje. Aqueles que são mordomos fiéis, mantêm sua conexão diária com Deus e administram suas vidas em harmonia com as instruções Dele, viverão a vida plenamente. 8

1 João 15:6

2 Deuteronômio 4:40

3 Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 123.

4 Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 51.

 

Mundia Liywalii

Mundia Liywalii

O Dr. Mundia Liywalii é atualmente o diretor de Mordomia na Divisão Sul Africana-Oceano Índico. Ele tem um Doutorado em Ministério da Universidade Adventista da África.